JÁ DECIDIU SER UM PROFISSIONAL DE VENDAS?

Por:  Palestrante J.B MAXX


Há quem diga que para vender é preciso ter “o dom”. Eu particularmente acredito que o vendedor brilhante até pode ter um dom, que por si só não é suficiente, ou pode desenvolvê-lo, mas, acima de tudo, tem que ter o domínio das técnicas de vendas e gostar de querer aprender mais e mais.



Durante mais de trinta anos ministrando treinamentos na área de vendas, já vi pessoas que, a princípio, não tinham a menor possibilidade de se tornarem vendedores. Eram pessoas simplórias por demais, grosseiras e rudes, além de se vestirem muito mal para uma apresentação de vendas. Literalmente sem nenhum traquejo para a venda. Mas, surpreenderam e fizeram bonito após passarem pelo treinamento das técnicas de vendas, e foram se aperfeiçoando a cada dia. Com persistência, muita dedicação e, principalmente, com atitudes proativas e vencedoras.



Isto me fez lembrar um caso que vivenciei no início da década de 80, quando estava ministrando um treinamento aberto ao público em BH, onde ainda moro.

Como sempre, eu fazia uma entrevista com os candidatos ao curso de técnicas de vendas para avaliá-lo e passar as informações básicas do curso.  E durante essas atividades deparei-me certa vez com um jovem senhor de mais ou menos 35 anos de idade, bem humorado, cabelo começando a ficar grisalho, sem o menor dom, traquejo e literalmente “tosco”.  Ainda por cima vestia um terno xadrex e camisa listrada de marrom e amarelo, com gravata em tom pastel e muito longa. Uma verdadeira “figura”.



 

Muito bem, eu o atendi e o que mais me impressionou foi o seu interesse em fazer o curso. Estava decidido, determinado e tinha atitude de vencedor, apesar do “figurino”. Como muitos que atendia, ele também estava desempregado e via em vendas uma “tábua-da-salvação”. Não chegou a falar (ainda bem) o que ouvi  de muitos: “por falta de opção de trabalho vou ser vendedor, afinal, vender qualquer um vende, basta ter um pouco de lábia”. Grande engano, que ainda hoje insisto em esclarecer. Empurrar produto nos clientes por comissões é muito diferente de vender.



Vender é gostar de ajudar as pessoas a conseguirem o que desejam. Vender é para quem gosta de gente, de ser útil à pessoa que nos compra bens e serviços. Vender é se comprometer com a satisfação de quem nos compra, para que satisfeita, volte a comprar muitas outras vezes. E vender, todos podem, mas definitivamente, “ser vendedor” não é prá qualquer um, pois exige esforço, dedicação e persistência, o que bem poucos estão dispostos a enfrentar.

Mas, voltemos ao caso.



O jovem senhor fez o curso de técnicas de vendas comigo e durante todo o curso ele se destacava nos comentários e na participação, sempre muito interessado. E toda aula ele queria mais informações, mais dicas e ficávamos conversando após as aulas por muito tempo. Tornamos-nos amigos. E poder ajudá-lo a ser um profissional de vendas ampliou meus horizontes e também foi um grande e belo desafio.



Após o curso continuamos a nos encontrar e nossas discussões eram muito proveitosas e instigantes. Trocávamos revistas, livros e artigos sobre vendas. Coisa que não acontecia comumente com os demais alunos, que após o curso iam se dedicar a vendas e acabavam não voltando mais. Mas esse ex-aluno estava sempre lá, pronto a me questionar, o que fazia sempre com muita veemência, ou mostrar uma novidade da área ou oportunidade de vendas.



E nas muitas idas e vindas, surgiu uma demanda para vender roupas baratas, de baixa qualidade, as tais “roupas de banca”.  Aí eu o indiquei e o acompanhei por algumas visitas aos lojistas do centro da cidade, especialistas nesse segmento. Discutimos ainda algumas vezes sobre suas dificuldades e o deixei atendendo esse mercado, pois tinha tudo a ver com seu jeito e perfil.



Passou algum tempo e quando eu o encontrei já estava muito bem de vida. Tinha constituído uma empresa de representação e já se auto-intitulava “o rei das roupas de banca”. Era o mais popular vendedor da cidade justamente pelo seu jeito “meio tosco” e pela maneira de se vestir e brincar com as pessoas com seu belíssimo bom humor. Apesar de ganhar muito dinheiro, manteve seu jeito e forma de se vestir. Dizia que aquele era o seu diferencial, seu jeito de ganhar as pessoas e vender mais.



Existe um ditado popular aqui em Minas que diz que “para cada pé torto existe um chinelo igualmente torto”.  E esse meu amigo apesar do seu jeito diferente de ser achou o segmento ou nicho de mercado certo para seu jeito “certo de vender”.



A lição que tiro desse caso é que com dedicação, persistência e determinação fica mais fácil alcançar o objetivo desejado e que sempre haverá um “chinelo torto” aguardando alguém com o pé igualmente torto para calçá-lo. O chinelo torto na verdade são oportunidades de vendas que o aguarda.  Parafraseando um amigo meu “primeiro você decide, depois acontece”.



E você, já decidiu ser um profissional de vendas?





Abraços e até o próximo artigo.

Prof. JB​

​​

Quer  discutir  algum aspecto deste  artigo ou fazer um comentário, contate-me através do e-mail 
palestrantejbmaxx@gmail.com


Prof. J.B – Palestrante, especialista em Marketing e Vendas – vender mais é fácil;  retenção de clientes; atendimento ao cliente e motivação.
Mestre e Professor de graduação e pós-graduação (MBAs) nas áreas de marketing e vendas.– WWW.JBMAXX.COM.BR  -  ​Indique  para  seus  amigos.

SIGA-ME AS REDES SOCIAIS

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram
  • YouTube Social  Icon

CONTRATE AS PALESTRAS DO PALESTRANTE PROF. JB

E ENCANTE SEUS CONVIDADOS !

31- 99122-7438

palestranteprofjb@gmail.com